top of page
  • Thiago Souza

Vale a pena criar uma Plataforma de E-commerce para Turismo ?



Eu já visitei quase todas as cidades do Brasil (comprando pelo e-commerce) e posso afirmar o seguinte: O Brasil é a Terra Prometida dos Empreendedores do Turismo.


Aqui nós temos de tudo: Destinos de praia, rio, cachoeira, serra, aventura, cultura e até neve (em São Joaquim SC)!


Além disso, as nossas estradas melhoraram bastante e, apesar do preço das passagens aéreas ainda estar muito elevado, todas as nossas cidades tem pelo menos um aeroporto.


Uma matéria recente do jornal Valor Econômico afirma que o Setor de turismo consolidou sua retomada em 2023.


A matéria diz ainda que o faturamento do segmento deve crescer 53,6% ante o ano passado, já incluindo a adesão de novos destinos que estão surgindo na cartela de viagens dos consumidores.


Essa introdução é para te dizer que investir no turismo no Brasil é uma EXCELENTE escolha!


Uma matéria recente da revista Panrotas afirma que o Turismo é o 3º setor com maior crescimento no e-commerce, com a empresa 123 Milhas liderando o setor.


O ranking do e-commerce para turismo no Brasil em 2022 terminou assim:

  • 123Milhas - 17.5%

  • Hurb (Hotel Urbano) - 16.8%

  • Booking.com - 14.8%

  • Latam Airlines - 7.1%

  • Clickbus - 6.9%

  • Airbnb - 6.5%

  • Decolar - 6.1%

  • Gol - 5.9%

  • Azul - 5.0%

  • Localiza - 2.2%

  • MaxMilhas - 2.0%

  • Unidas - 1.7%

  • CVC - 1.6%

  • Viajanet - 1.5%

  • Outros sites - 3.2%

Vamos falar um pouco sobre a lista acima. Todas essas empresas são empresas de turismo conceituadíssimas com uma forte presença no E-commerce.


Agora pensa comigo, se a CVC tem 1.6% de participação no mercado de vendas online, quanto você acha que será a participação da sua agência de viagens?


A conclusão que eu quero chegar é a seguinte: Não vale a pena ter um e-commerce para vender:

  • Passagens aéreas

  • Hotéis

  • Cruzeiros

  • E qualquer commodity do turismo


Você sabe o que é uma commodity? Eis a definição do site wikipedia:


"Em economia, comódite é um termo que corresponde a produtos básicos globais não industrializados, ou seja, matérias-primas que não se diferem independente de quem as produziu ou de sua origem, sendo seu preço uniformemente determinado pela oferta e procura internacional".


Passagens aéreas, hotéis, cruzeiros, etc são exemplos de commodity. Existem milhares de agências tentando vender exatamente a mesma coisa, se digladiando para vender esses produtos, com uma margem de lucro extremamente pequena!


E qual seria a solução?


Se você vende soja, você vende uma commodity. Se você vende uma fragrância aromática à base de óleo de soja, com a sua logomarca, cores, etc, você vende um produto com alto valor agregado e único.


Você entendeu?


Se eu crio um roteiro personalizado, integrando passagem aérea + hotel + restaurantes + experiências, eu não estou mais vendendo uma commodity.


E se eu não estou mais vendendo uma commodity, essas empresas da lista acima não são mais meus concorrentes.


Abre-se um oceano de oportunidades, com milhares de clientes que desejam o que você, e só você, sabe fazer.


É por isso que a minha dica é para que você abra sim um e-commerce, uma loja virtual, mas para vender as suas viagens personalizadas, as suas viagens em grupo, os seus roteiros feitos artesanalmente, coisa que nenhuma empresa do mundo, por maior que seja, conseguirá copiar.


E respondendo a pergunta do título desse Blog: Vale a pena criar uma Plataforma de E-commerce para Turismo? SIM, vale a pena desde que você não venda uma commodity!


Você consegue criar a sua própria plataforma de E-commerce utilizando a plataforma Excapy.


Com a plataforma Excapy você conseguirá vender suas viagens e passeios incríveis em uma loja virtual simples e intuitiva para o seu cliente.


Fale com a equipe da Excapy e sucesso no seu negócio.























54 visualizações0 comentário

Kommentare


bottom of page