top of page
  • Foto do escritorRenato Araújo

Como Ter Boas Vendas no Setor do Turismo em Baixa Temporada?


sistema para agência de turismo

Convencionamos chamar de baixa temporada o período em que menos turistas procuram por produtos turísticos diversos, como pacotes de viagens, passeios, hospedagens, turismo receptivo, entre outros. Trata-se de um dado sempre previsto em qualquer sistema para agência de turismo, visando planejar da melhor maneira possível o ano da empresa.


Mas quando é a baixa temporada? A resposta certa é que depende bastante do contexto. No Brasil, os períodos de baixa temporada, de forma geral, são entre março e julho e de agosto a novembro. Mas trata-se, podemos dizer, de uma média. Em alguns locais específicos pode haver algumas variações, ainda que localizadas.


Por exemplo, nas cidades coloniais de Minas Gerais, como Itabirito e Ouro Preto, o mês de julho costuma ter festivais de inverno que atraem turistas. Mais ou menos à mesma época, algumas cidades do Sul do Brasil recebem um número substantivo de turistas que desejam ver a neve. E assim vai.


De todo modo, a baixa temporada costuma ser um período ruim para as agências de turismo e para profissionais de turismo, de maneira geral. Com menos turistas, há menos demanda por produtos e serviços e, como é de se esperar, isso resulta em prejuízos. 


Assim, como é possível melhorar as vendas na baixa temporada, em se tratando de turismo? Há algumas possibilidades, das quais iremos falar aqui.


Turismo na economia: há espaço para lucrar o ano inteiro?

É quase consenso de que o setor do turismo é subexplorado no Brasil. Por sua vez, os números mostram que mesmo com potencial ainda a ser melhor aproveitado, o turismo no Brasil é enorme dentro de nossa economia. 


Em 2023, o Conselho Mundial de Viagens de Turismo (WTTC) mostrou números a respeito do impacto do setor no Brasil. Segundo seus dados, o turismo em 2023, no Brasil, movimentou mais de R$750 bilhões, equivalente a 7,8% do Produto Interno Bruto (PIB) do país.

Os mesmos dados mostram que houve um aumento em relação ao período pré-pandemia (antes de 2019) na ordem de 5%, e que o aumento deve continuar em 2024. Segundo a mesma WTTC, até 2033, o turismo deverá arrecadar anualmente no Brasil quase R$900 bilhões anuais, gerando mais de 9 milhões de empregos e representando aproximadamente 8% do PIB.


Vistos estes números, podemos inferir que dificilmente um setor dessas proporções concentra tantos valores somente nas chamadas altas temporadas. E isso é um fato. O mercado do turismo permanece funcionando em qualquer época do ano, inclusive nas baixas temporadas.


Com as devidas ações e estratégias, uma empresa que trabalhe com o turismo consegue obter lucros na baixa temporada. Isso é importante de maneira a sempre manter a empresa em alta no mercado, além de manter a sua saúde financeira durante todo o ano.


Empresas de turismo em baixa temporada: o que fazer?


sistema para agência de viagens

É comum que um sistema para agência de viagens, por exemplo, opere menos em uma baixa temporada. E isso, por razões óbvias, é ruim para as agências de viagens, que se deparam com quedas de venda. O mesmo ocorre com outros setores do turismo, e via de regra requerem atenção.


De todo modo, uma baixa temporada pode ser uma época de diminuição do fluxo de capital, além de queda da demanda por produtos e por serviços, bem como retração do lucro, entre empresas do mercado do turismo. Mas ela não precisa ser um completo pesadelo.


Há muito o que pode ser feito nesses períodos para, ao menos, minimizar quedas no setor. Mais que isso, a baixa temporada pode ser uma janela de oportunidades muito interessante, possibilitando atrair turistas, fidelizar clientes e fechar ótimos negócios.


Aqui, explicamos como algumas estratégias de como atuar no mercado do turismo em baixa temporada.


Abaixe os preços e faça pacotes diferenciados para baixa temporada

Aqui, começamos com uma dica que pode estar na ordem do óbvio: na baixa temporada, com menos procura, não faz sentido manter os mesmos preços que na alta, pois dificilmente as pessoas irão pagar e, assim, não valerá a pena mantê-lo. Mas não basta apenas diminuir os preços, no caso. 


Além de diminuir os preços, é importante traçar estratégias para que clientes saibam que a empresa baixou os preços e como é vantajoso adquirir o produto turístico fora de temporada.


Pacotes, promoções ou planos de fidelidade voltados à baixa temporada, associados com ações de marketing, são fundamentais nesse sentido.


Adapte seu produto e negócio

Além de abaixar o preço, alguns ajustes nos produtos e nos serviços para a baixa temporada é essencial quando se trata de empresas de turismo. Ajustar alguns pacotes ou oferecer serviços exclusivos para quem viaja fora da alta temporada são bons exemplos nesse sentido.


Outra possibilidade é usar outras possibilidades de localidades turísticas. Um destino procurado por suas praias, e que experimenta queda nessa procura na baixa temporada, pode ter outras atrações exploradas em um pacote turístico (como atrações culturais, ecoturismo etc.).


Um local como Juazeiro do Norte ou Aparecida do Norte, de forte turismo religioso, podem ter atividades de baixa temporada que explorem outras nuances da cidade, como monumentos e templos que podem ser vistos e admirados com um público menor.


Há muitas possibilidades. Nesse caso, importa bastante a criatividade do operador de turismo.


Invista em nichos de turistas

Existem alguns grupos de pessoas que viajam fora de temporada. Investir em produtos e serviços que sirvam determinados grupos pode atraí-los na baixa temporada e, melhor ainda, fidelizar esse público que irá voltar regularmente. Há diversos exemplos nesse sentido.


Pessoas idosas, por exemplo, já aposentadas e que não têm mais compromissos com filhos em idade escolar, viajam em baixa temporada. Pacotes turísticos voltados a este público podem funcionar perfeitamente em períodos de baixa procura por serviços de turismo.


Investir em clientes de outros países também pode ser uma ótima estratégia. É preciso lembrar que alta ou baixa temporada variam muito de país para país. As férias escolares em muitos países do Hemisfério Norte, por exemplo, acontecem entre agosto e setembro.


Produtos relacionados a eventos

Outro nicho importante é o turismo de eventos. Eles ocorrem sem muita relação com alta ou baixa temporada, sendo que alguns até escolhem as baixas de maneira a diminuir custos de viagens dos participantes. Por isso, os eventos, sobretudo os grandes, podem representar ótimas oportunidades no setor do turismo.


Um exemplo desse evento que atrai turistas é o Rock in Rio, previsto para o mês de setembro, que é fora de alta temporada, no Rio de Janeiro. Vários outros festivais de música, que atraem centenas de milhares de pessoas, geram demanda de produtos turísticos na baixa temporada.


Há também eventos acadêmicos, de negócios, voltados a determinados públicos específicos e muito mais. Um ponto interessante para quem quer lucrar com turistas que viajam para eventos é planejar produtos conforme um calendário desses eventos, focado nos períodos de baixa temporada.


Parcerias com as organizações dos eventos também podem ser boas pedidas.


Elabore estratégias de marketing

É preciso, de certa maneira, convencer os clientes de que viajar em baixa temporada é bom. Como? Há inúmeras possibilidades.


Viajar em baixa temporada pode, por exemplo, significar uma chance de conhecer um destino turístico de maneira mais tranquila, longe de multidões. Um sistema para excursões ou sistema para passeios que funcione em destinos turísticos pode focar nesse aspecto em ações de marketing, junto a pacotes especiais ou descontos.


A baixa temporada também é uma oportunidade para oferecer produtos exclusivos. Com menos procura, clientes que viajam em baixa temporada podem procurar por experiências mais adaptadas aos seus perfis e gostos, pelas quais só teriam acesso na alta temporada por preços mais altos.

Por isso, além de elaborar ofertas que captem interesses de turistas na baixa temporada, mostrar as vantagens de as adquirir é muito importante. Um sistema para agências de viagens que envie e-mails de divulgação nesse sentido, marketing em redes sociais ou atuação nas plataformas de turismo são boas opções para isso.


Sistema para Agências de Turismo e as Baixas Temporadas

Um bom sistema para agência de turismo é fundamental para traçar estratégias para ter sucesso no mercado de turismo em baixa temporada. Buscar variações do seu produto ou oferecer serviços exclusivos usando métodos manuais, se não inviável, é algo bem difícil de se fazer.


Por isso, um sistema para agência de turismo como o da Excapy é uma ótima alternativa para isso. Esse sistema consegue reunir tarefas operacionais, administrativas e financeiras em uma plataforma apenas. 


Dito de outro modo, com o Excapy o operador de turismo consegue, com apenas o login em uma única plataforma, gerir ações de marketing, gerenciar uma loja virtual, comunicar diretamente com clientes, efetuar reservas e muito mais. Tudo de forma automatizada, dinamizando o tempo e esforços da empresa.


O Excapy funciona com assinaturas, oferecendo planos diversos, com funcionalidades variadas que atendem empresas de todos os tamanhos e perfis. Por isso, recomendamos conhecer seus serviços e planos, de acordo com o perfil de sua empresa.


13 visualizações0 comentário

Commentaires


bottom of page