top of page
  • Foto do escritorRenato Araújo

Turismo de Saúde: entenda o conceito e saiba de sua importância

turismo de saude

O Turismo de Saúde também costuma ser chamado por outros termos, como o Turismo Médico ou Turismo de Bem-Estar. De modo geral, define uma modalidade de turismo na qual a pessoa viaja motivada por questões de saúde, o que pode ser a execução de um tratamento médico ou estético, uma mudança ambiental por recomendações de saúde, entre outras práticas.


Embora o Turismo de Saúde esteja ganhando grande popularidade nos últimos anos, viajar motivado pela saúde e bem-estar não é uma novidade. Pensando a história do Brasil, por exemplo, há muitos registros que mostram que a corte do Império, no século 19, tinha o hábito regular de viagens para regiões mais frias, como a região serrana, para evitar as várias epidemias de malária e dengue na cidade do Rio de Janeiro, no verão.


Também é bastante retratado em filmes e outras produções do século 20 o hábito de pessoas idosas do norte dos Estados Unidos viajarem para o sul do mesmo país, quando chega o seu rigoroso inverno, de maneira a preservarem sua saúde, visto que o sul é mais quente e baixas temperaturas aumentam incidência de problemas respiratórios.


Assim como a saúde e a medicina se modificaram muito nas últimas décadas, com desenvolvimentos tecnológicos diversos, além de outros temas de saúde terem ganhado evidência, viajar motivado pela saúde também é algo que mudou. 


Hoje em dia, o Turismo e Saúde pode incluir a estadia em resorts e spas de bem-estar, participação em retiros para maior contato com a natureza, ou mesmo usufruir de tratamentos ou terapias que não são acessíveis nos locais de origem dos viajantes. Como podemos perceber, outras modalidades de Turismo, como o Turismo Rural, Turismo de Experiência ou Ecoturismo, podem dialogar muito bem com o Turismo de Saúde.


Como é o cenário do Turismo de Saúde no Brasil?

Um estudo da Associação Brasileira de de Turismo de Saúde — Abratus — estima que, até 2030, o segmento irá mobilizar cerca de 2 milhões de turistas ao ano, de média. As bases de dados divergem, já que, como dissemos acima, existem pessoas que buscam destinos associados a questões de bem-estar, enquanto outras viajam em busca de tratamentos médicos propriamente ditos, via de regra bem sofisticados.


Segundo o International Healthcare Research Center  — IHRC —, o Brasil, até  2018, recebia cerca de 55 mil turistas por ano em busca de tratamentos médicos, sendo a maioria dos vizinhos sul-americanos, como Argentina, Uruguai, Colômbia, Peru e Venezuela.


Os números podem parecer modestos, comparativamente a outras modalidades relacionadas ao lazer e ao entretenimento. Mas há outro dado relevante que é o volume de gastos de quem faz o Turismo de Saúde. Dados do IHRC estimam que, no mundo, em média, cada pessoa que viaja em busca de bem-estar e/ou tratar sua saúde gasta US$6 mil por viagem.


Os números podem variar conforme o país, custo de vida ou dos tratamentos, dentre outros fatores. O fato é que o Turismo de Saúde movimenta economias pelo mundo e demanda bastante atenção. Um levantamento feito pela organização Patient Beyond Borders — Pacientes sem Fronteiras, tradução livre — mostra que este segmento movimenta anualmente cerca de US$80 bilhões.


Quando se inclui o chamado Turismo de Bem-Estar, abrangendo experiências além dos tratamentos médicos, os números são ainda mais robustos. Um levantamento do Global Wellness Institute — Instituto Global de Bem-Estar, tradução livre — este segmento movimentou mais de US$650 bilhões em 2022.


Como funciona este segmento de turismo?

As pessoas que procuram o Turismo de Saúde têm demandas diversas, mas todas têm como termo chave o autocuidado. Mais que qualquer outro segmento do turismo, este exige alguns cuidados e facilidades.


Pessoas que procuram outras cidades ou países para fazer tratamentos, geralmente precisarão de algum tipo de estrutura para si e seus acompanhantes. Além disso, o acesso fácil e ágil aos locais de tratamento são importantes. A depender também da característica do tratamento, as pessoas que procuram o Turismo de Saúde requerem algum nível de descrição e confidencialidade que devem ser respeitados pelas empresas que contratam. Estes aspectos devem ser observados com atenção pelas agências de turismo.


No caso de turistas que procuram destinos para seu bem-estar de maneira geral, como períodos em resorts e spas, outras características passam a ser valorizadas. A tranquilidade, por exemplo, é um tema fundamental. Essas pessoas procuram atividades ao ar livre, além de ambientes que não estejam lotados, além de contato com a natureza.


Esse segmento é muito próximo do Turismo de Experiência em vários sentidos. As atividades visando bem-estar e saúde mental também demandam experiências como trilhas, caminhadas, experiências gastronômicas e outras relacionadas a um turismo mais intimista e sustentável.


Debates éticos do Turismo de Saúde

O Turismo de Saúde não é uma unanimidade. Há algumas questões levantadas por seus críticos, algumas sensíveis, que operadores de turismo que queiram atuar neste segmento precisam observar atentamente.


Um exemplo é a crítica de que o Turismo de Saúde é voltado, via de regra, a elites econômicas que podem tratar seus problemas em qualquer lugar do mundo, o que resulta que sistemas de saúde ou hospitais de referências voltem seus recursos para este público, negligenciando as populações locais.


Outro ponto, ainda relacionado a viagens internacionais, é que existem diferenças entre as políticas de saúde nos diferentes países, o que faz com que existam situações em que um tratamento ou terapia permitido em um país seja proibido noutro.Isso pode trazer implicações jurídicas sérias, que merecem atenção.


É necessário levar em conta que também existem muitas denúncias de que haja uma vertente do Turismo de Saúde em que pessoas gastem seus recursos e viagem para tratamentos sem lastro científico. Seria, no mínimo, problemático para a imagem de uma agência de turismo vincular sua imagem a algum empreendimento dessa natureza.


Por fim, produtos que tenham relação com a saúde humana, entre os quais os que envolvem viagens, têm códigos específicos de ética que devem ser respeitados. Eles devem respeitar sempre prescrições de especialistas, nunca prometer curas milagrosas e jamais expor pacientes, dentre outras questões.


Destinos no Brasil para o Turismo de Saúde

sistema para agência de turismo

No relatório Tendências de Turismo: comportamento da população brasileira, apresentado no início deste ano, há o dado de que 97% da população brasileira pretende fazer algum tipo de viagem pelo país, e que 5% dizem se motivar pelos temas saúde ou bem-estar para suas viagens. Assim, há vários locais no país bastante visados nesse sentido.


A Atitude Business Travel, agência de viagens especializada em Turismo de Negócios e de Saúde, mostra que a capital paulista é o principal destino do Brasil quando se trata de Turismo de Saúde.


A rede hospitalar paulistana, sofisticada e diversificada, atrai pessoas de vários lugares do Brasil e de outros países buscando tratamentos de saúde.


O Brasil, como um todo, mas São Paulo e Rio de Janeiro, particularmente, se destacam no Turismo Médico relacionado a cirurgias plásticas. A Brazilian Association of Plastic Surgeons — Associação Brasileira de Cirurgiões Plásticos, tradução livre — mostra que 1 a cada 8 cirurgias plásticas do mundo são realizadas no Brasil e que há expectativas de que nos próximos anos haja crescimento de um Turismo Médico em função delas.


O Rio Grande do Sul, por sua vez, tem despontado como destino do Turismo de Saúde no Brasil. Segundo dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua — PNADC —, de 2021, realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística — o IBGE —, pouco mais de 21% dos turistas que procuraram o estado naquele ano o fizeram em função de tratamentos de saúde.


O Observatório do Turismo da Secretaria de Turismo do Estado do Rio Grande do Sul aponta dois fatores para esses números. A primeira tem a ver com a infraestrutura de saúde do estado. Segundo ranking do World’s Bests Hospitals 2023, 2 dos 10 melhores hospitais do Brasil são gaúchos.A segunda se dá em relação ao crescimento dos spas turísticos em várias regiões do estado, sobretudo na Serra Gaúcha, em cidades como Gramado.


Em termos de spas turísticos, o Brasil possui inúmeros destinos bastante procurados no segmento do Turismo de Saúde. Merecem destaque destinos como Araxá e Poços de Caldas, em Minas Gerais, Águas de Lindoia e Campos do Jordão, em São Paulo, Rio Quente e Caldas Novas, em Goiás, dentre outros.


A Importância do Turismo de Saúde e as Agências de Turismo

O Turismo de Saúde mobiliza muitas pessoas ao redor do mundo, que viajam em busca de tratamentos médicos ou de bem estar. Por isso, muitos destinos se mobilizam para receber bem essas pessoas e lhes oferecer os melhores produtos turísticos, sempre tendo em vista as inúmeras questões éticas e práticas que ações relacionadas à saúde humana implicam.


Um bom sistema para agência de turismo pode gerenciar bem esses produtos voltados ao Turismo de Saúde, comunicando de maneira eficiente com clientes e gerenciando os processos da viagem de maneira ágil.


Nesse sentido, o sistema para agência de Turismo Excapy, com possibilidade de gerenciar todos os processos operacionais, financeiros e administrativos da agência na mesma plataforma, é uma ótima recomendação para atuar no Turismo de Saúde.

4 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page